quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Itiubense é presa pela Polícia Federal acusada de traficar mulheres para a Espanha


06/02/2013 Atualizado ás 09:26



578072_498644893505607_1385260696_nO casal que foi preso esta semana, no subúrbio de Salvador, Denílson Pereira Reis e Elizânia Evangelista, acusados de aliciar brasileiras para trabalhar na Espanha, tem uma ligação direta com o município que hoje faz parte do território do sisal, no centro norte da Bahia, isso porque a mulher acusada e detida na operação é filha de Itiúba. Elizânia morou na Rua São Gonçalo, Itiúba – Ba. O casal, segunda a polícia federal, estava a serviço do espanhol Bermudez Motos, o dono do prostíbulo que a reportagem do Fantástico mostrou em Salamanca, na Espanha e a brasileira Renata Gomes Nunes.

Tudo só foi possível, após uma mãe de uma das garotas, inspirada na novela Salve Jorge fazer uma denuncia pelo DISK 180. A Polícia Federal investigou o caso com a Polícia Nacional Espanhola. Na semana passada, as duas polícias decidiram agir. Em Salamanca, policiais brasileiros e espanhóis invadiram o prostíbulo onde as mulheres eram mantidas em cárcere privada. Em Salvador, o casal Denílson Pereira Reis e Elizânia Evangelista (filha de Itiúba) foi preso, acusado de aliciar brasileiras para trabalhar na Espanha.
De acordo com as investigações, antes de sair do país, algumas garotas passavam por uma espécie de preparação: eram levadas para trabalhar numa casa no subúrbio de Salvador, onde funcionava um bar e um prostíbulo.
Antes da viagem, elas recebiam dinheiro vivo para comprar roupas e ir ao salão de beleza. Também levavam muitas notas de euros para mostrar ao serviço de imigração quando desembarcassem no aeroporto espanhol. Assim, fingiam que eram turistas com dinheiro pra gastar.
Mais tarde, quando começavam a trabalhar em prostíbulos, tudo era cobrado delas, juntamente com o valor da passagem de avião. Só que essa dívida era aumentada em até 300%, o que as deixava totalmente dependentes dos exploradores.
Se aproveitando do gancho, deputada estadual baiana entra com requerimento para criação da CPI do Tráfico de Pessoas na Bahia

A deputada estadual Luiza Maia (PT) entrou, nesta segunda-feira (4), com requerimento para que a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) crie, com urgência, a CPI do Tráfico de Pessoas. “Essa situação é preocupante. Como podemos aceitar que em pleno século 21 pessoas sejam enganadas, enroladas com promessas de trabalho e riqueza para depois serem vendidas? Isso é um absurdo! Não podemos deixar que mulheres e crianças sejam mantidas como escravas por esses criminosos. Precisamos investigar e acabar com essas quadrilhas que só perdem em lucratividade para o tráfico de armas e drogas”, condenou. Para contribuir com a discussão, a parlamentar baiana convidou o presidente da Comissão do Tráfico de Pessoas da Câmara Federal, Arnaldo Jordy (PPS-PA), para uma audiência pública, logo após o carnaval. “A Bahia é o terceiro Estado com maior número de mulheres traficadas e a intenção é fazer uma série de reuniões tendo como ponto de partida o casal preso em Salvador pela Polícia Federal e queremos contar com o apoio do Congresso Nacional”, disse. Conforme levantamento da ONU, cada mulher levada para ser prostituta no exterior rende as quadrilhas mais de R$ 100 mil. No total, o número de pessoas levadas para o exterior por traficantes já soma 70 mil. A Organização das Nações Unidas (ONU) estima que a máfia de pessoas movimenta por ano mais de US$ 30 bilhões. Cerca de 10% desse dinheiro passa pelo Brasil.
Fonte Blog do Aroldo Pinto

Nenhum comentário:

Postar um comentário